Category Archive Trabalhos autônomos

Usando cartão de crédito pessoal para despesas de trabalho: 5 dicas

Usando cartão de crédito pessoal para despesas de trabalho: 5 dicas

Seu chefe quer levar você a uma conferência em outro estado para beber vinho e jantar um grupo de figurões, mas sem um cartão de empresa, você terá que colocar as despesas em seu próprio bolso. 

Você não se preocupa apenas se sua linha de crédito pessoal pode cobrir todas as despesas, mas carregar toda essa dívida no seu próprio cartão, mesmo que temporariamente, pode ser desconfortável.

É comum, mas nem sempre justo, que as empresas peçam aos funcionários que paguem as despesas de trabalho antecipadamente e sejam reembolsados ​​mais tarde. Usando um cartão de crédito pessoal para despesas comerciais: 8 dicas

1 – Considere a empresa. 

Quando você paga por uma despesa de trabalho, está essencialmente emprestando seu próprio dinheiro à empresa, então pense bem. 

As empresas quebraram com reembolsos pendentes acrescentando que algumas empresas são novas, pequenas, têm baixo fluxo de caixa e baixa ou nenhuma classificação de crédito. 

2. Considere um cartão separado.

É melhor solicitar um cartão de recompensa para usar apenas para despesas de negócios. Isso torna a manutenção de registros muito fácil. 

Com um cartão dedicado, você não precisa percorrer todas as suas visitas diárias à cafeteria para descobrir a cobrança de uma reunião de café com o cliente.

Você também evita dar a seu chefe uma espiada em suas compras pessoais se fornecer uma cópia da fatura do cartão de crédito para reembolso. 

3. Não use um cartão com saldo. 

Se você não puder ou não quiser obter um cartão separado para o trabalho, evite fazer o check-in no hotel da conferência com um cartão com saldo. 

A dívida que você está carregando anulará o período de carência do cartão de crédito, então você começará a acumular juros sobre os custos do trabalho imediatamente. Isso é definitivamente algo a evitar.

4. Saiba que as taxas de trabalho podem afetar seu crédito. 

Em certas situações, cobrar despesas da empresa em seu próprio cartão pode prejudicá-lo diretamente.

Por exemplo, se você está solicitando uma hipoteca, o grande saldo de uma viagem de trabalho que ainda não foi reembolsado pode afetar sua taxa de utilização de crédito, a quantidade de crédito disponível que você está usando, o que pode puxar sua pontuação de crédito 

5. Evite usar seu cartão de débito.

 Se você planeja usar seu cartão de débito para trabalhar, tome precauções extras. A maioria dos hotéis e locadoras de veículos fará uma retenção em seu cartão. Com um cartão de crédito, é uma restrição ao seu limite de crédito. Com um cartão de débito, é dinheiro real.

Isso amarra seus próprios fundos até que a retenção diminua. Se você tiver que usar seu cartão de débito, pergunte ao hotel ou concessionária o valor da retenção. 

Talvez você não consiga obter uma resposta definitiva sobre por quanto tempo a suspensão ficará em vigor porque as políticas do seu banco ou da administradora de cartão de crédito também levam em consideração. Usar o cartão de débito “não é o ideal”.

Veja 03 motivos para trabalhar com o TeamViewer (Foto: internet)

Veja 03 motivos para trabalhar com o TeamViewer

Ele chegou para ajudar ainda mais no acesso remoto, sendo que atualmente seu maior objetivo é facilitar por completo tanto o compartilhamento como o acesso remoto, sendo assim, o teamviewer já faz parte da vida daqueles que desejam acessar o seu desktop justamente através do notebook quando preciso ou vice versa.

Desta maneira, algumas pessoas ainda não conhecem esse tipo de acesso remoto, sendo que é importante ter maior conhecimento sobre o assunto para que a pessoa consiga maior eficiência no uso de seus computadores a partir de outro local.

Sobre o TeamViewer

Na verdade, é importante destacar que o TeamViewer nada mais é do que um programa que controla outros computadores remotamente pela internet, a pessoa consegue controlar como se tivesse sentado na frente do PC.

Atualmente o principal objetivo do programa é facilitar por completo o compartilhamento de dados entre dois computadores que estão conectados na internet, ademais, o mesmo ainda pode ser usado para acessar o desktop justamente a partir do notebook quando se faz necessário.

Além do mais, esse controle permite outras funcionalidades permitindo que a pessoa consiga fazer exibições a partir de sua máquina, sendo que ainda é possível participar de apresentações que já foram realizadas por outras pessoas, lembrando que esses processos são feitos sempre com conexões seguras e que são completamente protegidas por senhas.

Lembrando que esse acesso remoto de computadores acabou se tornando um grande aliado para aquelas pequenas empresas que realmente não possuem equipes de TI disponíveis tanto no escritório quando em home office.

Além disso, com o uso de softwares tal como o teamviewer é possível realizar o pareamento das máquinas e realizar compartilhamento de dados à distância, sendo que isso pode ser feito entre diversos aparelhos.

É importante destacar ainda que esses tipos de aplicativos acabam por facilitar ainda mais o trabalho de profissionais, sendo que a maioria precisa acessar o PC para enfim fazer a coleta de dados ou até mesmo resolver problemas no computador.

Sabemos que na maioria das vezes essas máquinas não estão próximas, então o ideal é fazer o controle remoto para trabalhar na mesma.

03 motivos para fazer uso do TeamViewer

Entre os 04 motivos para fazer uso desse controle remoto estão os seguintes:

01. É capaz de economizar tempo e aumentar ainda mais a eficiência

É preciso saber que o monitoramento acaba permitindo que tanto as empresas quanto os grupos justamente através de um console central, consigam acompanhar e enviar informações para os computadores que estão conectados por esse sistema.

Essa prática acaba reduzindo gastos com as pessoal, sendo que ainda é capaz de aumentar ainda mais a eficiência dos profissionais de TI.

02. Consegue detectar problemas precocemente

Sobre o monitoramento remoto, esse permanece ativo sempre 24 horas por dia, sendo que pode ainda ser configurado para poder emitir alertas com regularidades.

03. Permite a obtenção de informações essenciais

Os dados são enviados constantemente através do acesso remoto, sendo que isso permite que as atualizações cheguem mais rápido aos computadores, isso facilita por completo atualização de programas, upgrades de softwares, entre outros.

Como viver de renda passiva, se aposentar em 3 anos e não precisar da previdência (foto: internet)

Como viver de renda passiva, se aposentar em 3 anos e não precisar da previdência

Quer saber como viver de renda passiva? Muitas pessoas já ouviram falar sobre o assunto, mas não sabem quanto que precisam guardar para poder ter uma aposentadoria de qualidade, conseguindo viver com uma boa quantidade financeira. Por isso, é importante começar com os investimentos certos para garantir um bom futuro.

Para conseguir alcançar os seus principais sonhos financeiros, é necessário saber o quanto vai ser preciso para conseguir chegar nesse patamar. Se você já sabe quanto vai precisar para conseguir investir, é mais fácil de conseguir ter o dinheiro e fica ainda mais fácil para que os investimentos funcionem.

Como viver de renda passiva, se aposentar em 3 anos e não precisar da previdência (foto: internet)
Como viver de renda passiva, se aposentar em 3 anos e não precisar da previdência (foto: internet)

Como viver de renda passiva?

Para começar a entender como viver de renda passiva é mais do que importante saber o quanto vai ser preciso poupar para isso. O primeiro passo, então, é conseguir determinar um valor que você vai querer ter de renda mensal, para uma vida sem precisar trabalhar e com qualidade.

É possível definir um valor que seja similar ao que você já recebe hoje em dia, ou ainda, ser algo maior. O importante é que você consiga manter o estilo de vida que tem atualmente. Para conseguir atingir os seus objetivos, é necessário investir, não há outro meio de conseguir saber como viver de renda passiva.

Existem diversas maneiras para conseguir entender como investir o seu dinheiro, contando com opções de investimentos no mercado para todos os objetivos e perfis de investidores. Por isso, escolher um investimento que vai ter um bom rendimento para conseguir te fazer ter o dinheiro planejado é o passo certo.

Que investimento fazer?

Depois que se planeja ter o dinheiro, é hora de pensar na quantia que quer continuar recebendo de maneira passiva. A dica é conseguir poupar o seu dinheiro e conseguir rentabilizar ele de alguma forma. Ter uma boa rentabilidade vai depender de realizar bons investimentos.

Com diversas opções que exploraram bons retornos, é importante procurar os melhores investimentos para a sua quantidade de dinheiro e para o quanto espera ter de retorno. Ao conseguir aumentar a sua rentabilidade, é possível crescer o seu patrimônio também, levando menos tempo para atingir as suas metas.

Quando se consegue entender sobre investimentos, muitas pessoas vão preferir aqueles que demonstrem ter a maior rentabilidade. Por isso, quanto mais se conhece sobre o mercado de investimentos, maiores serão as chances de conseguir fazer o seu dinheiro se multiplicar e ficar ainda mais fácil de viver de renda passiva.

Assim, com menos tempo para conseguir atingir o momento de liberdade financeira, sem precisar ganhar um salário trabalhando e conseguindo viver disso na sua aposentadoria. Poupando o dinheiro do seu salário e deixando ele para investir em um bom investimento, é possível levar menos tempo para se aposentar e com ganhos melhores que qualquer previdência.

Com isso, investimentos são o caminho chave para conseguir multiplicar a sua rentabilidade, conseguindo atingir grandes valores que estão sendo guardados para o momento da aposentadoria e para se viver de renda passiva.

Tags,

Ganhe dinheiro ensinando o que você sabe

Está precisando de dinheiro a mais? Procurando uma renda extra? Você pode estar procurando algo que está bem debaixo do seu nariz. Já pensou em ensinar algo que você já sabe? Por meio da Plataforma EAD é possível. 

Nos dias de hoje, com o avanço da tecnologia e do alcance da internet você pode investir um pouco do seu tempo para ensinar o que você já sabe a outras pessoas e com isso ganhar aquele extra que está precisando. 

O que ensinar? 

Muitas vezes as pessoas menosprezam o que sabem fazer ou aquilo que tem facilidade em aprender. Você pode utilizar isso como uma forma de renda extra e se der muito certo, pode até se tornar sua renda fixa.

Vamos analisar algumas coisas que você pode ensinar.

  • Artesanato

As pessoas gostam de produtos e peças exclusivas, ou seja, quando só ela ou pouquíssimas pessoas tem aquilo. Você é daquelas pessoas bem criativas, que vê uma latinha ou caixa de leite e já imagina o que aquilo pode se tornar? Então use essa criatividade a seu favor! Proporcione cursos que podem incentivar a criatividade dos seus alunos. 

Você pode fazer objetos exclusivos de decoração, peças de cama, mesa e banho, bolsas, roupas, bijuterias e até móveis. Utilizando produtos recicláveis ou se você sabe fazer crochê, tricô, bordado, use sua criatividade, compre os materiais necessários e divulgue seu material. 

Monte turmas pequenas na sua cidade onde você pode acompanhar o avanço de seus alunos, faça aulas online do passo a passo e crie um canal no youtube.

  • Instrumentos musicais

Se você sabe tocar  algum instrumento musical e domina o manuseio, onde estão as notas, sabe tocar vários ritmos, tá esperando o que pra começar a montar um material e divulgar suas aulas?

Comece a ensinar a crianças o básico do instrumento, acompanhe o avanço delas, ensine músicas clássicas e fáceis, incentive-as, chame seus familiares, primos, sobrinhos, tios. Claro que não será justo cobrar o mesmo valor de um musicista, por exemplo. Mas você pode criar um modelo de curso onde abordará assuntos importantes cobrando um valor mais baixo.

  • Idiomas

Sabemos que é extremamente importante saber outro idioma hoje em dia, porém os cursos são muitos caros e nem todo mundo pode pagar. Muitos intercambistas estão aproveitando a oportunidade que tiveram de aprofundar em um idioma para dar aulas particulares e ganhar um dinheiro extra. 

Você pode ter feito intercâmbio ou dominar algum idioma estrangeiro porque se esforçou bastante para isso, utilize essa ferramenta para ensinar e ajudar outras pessoas a aprender esse idioma. Crie turmas pequenas onde você pode acompanhar mais de perto os alunos ou até mesmo aulas particulares. 

Onde ensinar?

Dependendo da quantidade de pessoas pode ser na sua casa, na garagem, em um salão alugado ou até mesmo na casa de um dos alunos. Você tem que analisar o que vai precisar no curso, os materiais, o espaço necessário para ter um bom aproveitamento. 

Além disso, temos a internet que também pode nos auxiliar nesse quesito. Você pode disponibilizar aulas prontas online ou fazer video chamadas por meio do skype, whatsapp e outros meios de comunicação. 

Como dar um up grande em seu escritório

O escritório, seja na sua própria casa, ou em um local externo, acaba sendo um lugar onde passamos mais da metade do nosso dia. Por causa disso, ter um ambiente aconchegante, que nos permite pensar com mais clareza e adequado as nossas necessidades é essencial. Isso pode até mesmo ajudar a aumentar a produtividade, tanto a nossa, quanto a de colaboradores que trabalham com você.

Por isso, hoje trouxemos um artigo especial para ensinar você a como dar um up em seu escritório. Veja abaixo e se inspire!

 

Tecnologia

Independente se você tem uma empresa que está na área tecnológica ou não, você precisará de investir em tecnologia, já que é o que o mundo nos pede hoje em dia. E utilizar de recursos de automação residencial , mesmo para o escritório é uma boa ideia.

Invista em boa aparelhos de som e áudio, isso ajuda até nas reuniões a serem mais visuais e dinâmicas.

Bons equipamentos para vídeo, ajudam até que você possa ter reuniões a distância, o que pode aumentar os clientes da sua empresa.

E tem uma outra vantagem, a instalação de alguns produtos, como iluminação automatizada, por exemplo, pode ajudar na economia das contas. Pois pelo celular é possível acompanhar e saber se deixou ou não as luzes acesas, por exemplo. E nos dias que isso acontecer, com apenas um toque é possível desligar tudo. Muitas vantagens e economia isso pode trazer a sua empresa!

Então se você quer dar um up no seu escritório investir nos serviços tecnológicos é o primeiro passo.

 

Ambiente de lazer

O escritório é o local de trabalho e de produção certo? Ainda assim você pode ter momentos de lazer ali, afinal, como já dissemos você fica boa parte do dia neste ambiente então merece uns momentos de pausa.

Faça uma sala de jogos, com sinuca, video-game, ou simplesmente com uma TV e puffs para descansar.

Isso possibilita pequenas pausas produtivas no dia a dia da sua empresa. Inclusive nesses espaços podem sair boas ideias de negócio. É um up que seu escritório merece.

 

Móveis confortáveis

Quem trabalha confortável com certeza trabalha melhor. Ficar no mínimo 8 horas sentado em cadeiras duras, além de ser desconfortáveis, também pode prejudicar à saúde. Cadeiras confortáveis ajudam a quem precisa ficar sentado por muitas horas seguidas.

Mas também ter outros móveis no escritório como puffs e sofás também são excelentes ideias para os momentos de pausa do trabalho. E também para receber clientes e parceiros de negócios, que vão se sentir confortáveis quando se reunirem.

 

Sistema de segurança

Além do lazer e conforto, você e seus funcionários também precisam de segurança no trabalho, principalmente se quando estão ausentes ficam objetos de valor guardados ali. Colocar um sistema de câmeras de segurança automatizado é alternativa para se sentir mais seguro e poder controlar, mesmo de longe, o que acontece na sua ausência.

Vários sistemas de vídeo já enviam as imagens em tempo real para os aparelhos celulares, o que permite não perder nada que acontece na empresa, em todos os momentos do dia, ou da noite.

 

Essas dicas ajudam você a dar um up grande em seu escritório e ter um ambiente mais moderno ao mesmo tempo. Aproveite-as!

 

Como melhorar a reputação do seu site com SEO

Obter, manter e melhorar a reputação de um site, hoje em dia, é uma tarefa altamente desafiadora para administradores de sites e mesmo para especialistas em marketing digital.

O Google aplica mais de 300 critérios diferentes para posicionar cada site em termos de reputação online, e está constantemente alterando seus parâmetros, o que torna a tarefa ainda mais complexa.

Isso quer dizer que devemos trabalhar sem nos preocupar muito porque nunca vamos satisfazer o Google?

Com certeza, não. Porque talvez não exista site que atenda todos os critérios, a maioria foca nos mais relevantes – e investiga quem são eles a cada momento – e, acima de tudo, nos critérios que tenham relação direta com a audiência.

Porque, no fim de tudo, é dela que virão os resultados mais expressivos.

E não esqueça de premissas importantes:

  • Conquistar uma reputação tem muito a ver também com o que não fazemos de errado e que possa ser punido;
  • A imagem com o mercado determinará muito da sua reputação, e ela virá da forma como você entrega os seus produtos (canais digitais) aos usuários.

O que é a reputação online?

A reputação online é a confiança que o mercado (usuários) tem no seu site dentro do mundo da internet.

Muitas pessoas associam a reputação ao ranqueamento que o site tem nas buscas de usuários, mas esse aspecto é apenas parte do processo. A outra parte diz respeito às práticas que vão criar a reputação no mundo real: a informação e o interesse que ela cria na audiência.

O que é o SEO?

O SEO (Search Engine Optimization ou Otimizações de Mecanismos de Busca) é o conjunto de estratégias, ferramentas e métricas que usamos para otimizar a performance de um site no vasto mundo de páginas da internet.

Um especialista em SEO está constantemente estudando novos critérios para otimização de sites e como atingi-los.

Quais os principais critérios que o SEO foca para a reputação do site?

Vamos falar dos principais critérios que um planejamento de SEO deve cuidar para melhorar continuamente a reputação de um site – sem uma ordem de importância.

01 – Link interna para o seu site

Os sites que apontam para o seu são uma medida da relevância que você terá na rede perante os usuários que cheguem até ele. Porém é importante frisar que eles devem vir de sites com uma boa reputação também.

Podemos medir como sendo sites de empresas sérias no mercado:

  • Empresas sérias do mesmo ramo de atividade do seu site;
  • Orgãos de mídia e imprensa reconhecidos;
  • Sites e blogs de pessoas e empresas que sejam autoridades no mesmo assunto do seu conteúdo que foi linkado – ou o site em geral.

Linkagens externas de sites com baixa autoridade, conteúdos pobres ou suspeitos – certamente prejudicarão a sua reputação.

02 – Linkagem externa

Da mesma forma que é importante ser reconhecido por páginas sérias, é fundamental linkar seus conteúdos com páginas com boa reputação também e, principalmente, que tenham relação com a sua área de atuação e/ou tema do seu conteúdo.

Por exemplo, se você tem um site para venda de consultoria financeira, é importante linkar externamente com páginas com reconhecimento no mercado financeiro – Infomoney por exemplo.

03 – Conteúdos relevantes e de qualidade (otimizados)

Podemos dizer que chegamos na alma da sua reputação: os artigos e informações que você publica. Aqui podemos dividir a estratégia em dois pontos:

  • Seu artigo deve usar o máximo de recursos de otimização possíveis – por exemplo, uso natural de palavras-chave, a linkagem contextualizada, títulos e subtítulos e outros itens;
  • Seu artigo deve ter um conteúdo textual de qualidade, com uma escrita atraente, levando o usuário a permanecer nele, compartilhar, comentar, enfim ações que atestam a interação dele com o que você publica.

04 – Planejamento de conteúdo

Ter ótima escrita e otimizar o artigo é ótimo, mas saber a dosagem também. Publicações em excesso tiram a expectativa pela próxima postagem que é tão eficaz para formar uma audiência. Variar temas dentro de um assunto também ajuda a dinamizar e escalar mais audiência.

 

Como investir em Sites ou Blogs e ter um bom retorno

Muito se fala hoje em dia de como sites e blogs podem impactar positivamente nos negócios e trazer o retorno esperado – mais público, mais chances de negócios e de vendas.

Num mundo dos negócios cada dia mais digital, é quase impensável que um negócio queira obter sucesso sem investir nessas ferramentas essenciais para expandir uma marca e para a empresa falar com um número muitas vezes maior de potenciais consumidores que nos canais tradicionais – que se limitam geograficamente e o alcance das mídias.

Mas o site e o blog têm suas particularidades, que são simples na essência, mas que muitos empreendedores e alguns profissionais de marketing desconhecem. O resultado são investimentos de tempo, pessoal e recurso sem tráfego e com poucas vendas. Como isso pode acontecer?

Vamos falar um pouco de como investir em sites ou blogs e ter um bom retorno.

Alguns passos fundamentais para investir em site e blog e ter retorno

01 – Define claramente o nicho do seu negócio

Para uma empresa que já existe, este trabalho é mais fácil, mas é sempre importante definir claramente que nicho, pois definirá também o púbico que se quer alcançar.

As estratégias com site e blog para vender pick-ups de luxo e automóveis de luxo, por exemplo, são diferentes, mesmo que o poder aquisitivo envolvido seja o mesmo.

02 – Mapeie seu público-alvo

A partir do nicho e dos produtos definidos, você deve definir o seu público-alvo – idade, gênero, localização, renda, estado civil e outros fatores. Definir este público e o nicho levarão sua equipe para a definição das estratégias.

03 – Crie uma identidade visual quase perfeita

O layout, o design, as cores e a diagramação do site e do blog são fundamentais para criar a experiência de usuário que você precisa: visitas mais demoradas, clique em links internos, paginação, interação com comentários, assinatura de newsletter.

Enfim, tudo que possa prolongar e qualificar a comunicação de quem hoje é usuário e, com a qualidade dessas ferramentas, pode se tornar um cliente. Além disso, o Google usa todos esses parâmetros e outros para ranquear sites e blogs nas pesquisas de usuários.

04 – Invista em conteúdos com qualidade e relevância

Informação com qualidade e relevância é a alma de um site e um blog. É importante que os artigos, descrições de produtos, textos de chamada, vídeos e imagens componham um quadro que:

  • Atraia seu público: visualizações, cliques e navegação;
  • Forme autoridade: conteúdos que demonstram a força da sua empresa no setor e nos assuntos relacionados;
  • Crie engajamento: conteúdos atraentes e que tenham visibilidade;
  • Provoque negócios.

Evidentemente, é um grande funil onde o resultado do fundo será uma pequena parte do topo. Mas esse resultado pode ser excelente para o seu negócio, e só será obtido com esse investimento: comunicação de qualidade. E você poderá contratar uma agência de conteúdo para ajudar nessa questão.

Mas antes: por que investir em site e blog?

As vantagens são muitas e importantes, e certamente se encaixam no seu negócio.

São as novas identidades da empresa

Podemos dizer, sem exagero, que o site e o blog são o CPF e o RG da sua empresa no mundo dos negócios. Quando vemos o impacto negativo de não estar online, o CNPJ perde até o sentido.

É com essas ferramentas que os clientes vão achar a empresa e se relacionar com ela. Estar sem identidade virtual é perder muito espaço para a concorrência.

Seu negócio funcionando 24 horas por dia, 7 dias por semana

Você pode montar tudo durante o dia, e sua empresa será consultada e vai vender de madrugada. Essa é uma das principais vantagens do site: sua empresa nunca fecha.

E o blog cumpre a mesma disponibilidade com conteúdos de relacionamento, portanto fixando sua marca por mais tempo na mente do consumidor.

Tem um alcance muito maior

Seu negócio poderá ser visto por milhares de pessoas ao mesmo tempo e milhões todos os dias. É um alcance que nenhum canal tradicional de relacionamento – telefone, balcão, visitas – pode dar.

O grau de visibilidade será ditado pelas estratégias de marketing digital.

 

 

 

Imposto de Renda: descubra se você precisa declarar e veja essas dicas!

Aquele momento de juntar documentos – e descobrir que não sabe onde estão muitos deles – baixar o programa de geração da DIRPF (Declaração de Imposto de Renda de Pessoa Física), registrar todas as informações, gerar a declaração, transmitir e rezar para que ela não caia na malha fina – pequenos erros podem levar até ela.

Mas antes disto tudo: você precisa mesmo deste trabalho todo?

Vamos falar sobre as condições do Imposto de Renda. Descubra se você precisa declarar e veja essas dicas.

Quem é obrigado a declarar o Imposto de Renda?

O primeiro passo, antes de juntar documentos e dados, é descobrir se você realmente é obrigado a declarar o Imposto de Renda. Existem algumas condições que o Governo anualmente divulga.

Rendimentos Tributáveis

São os rendimentos provenientes do trabalho assalariado, alugueis, pensões e benefícios que, somados, ultrapassem um valor mínimo que em 2018 foi de R$ 28.559,70.

Bens

Aqui consideramos imóveis, veículos e produtos financeiros. Importante: se for declarar em conjunto com cônjuge e/ou com dependentes, os bens deles devem ser somados para chegar ao valor final. O valor mínimo de 2018 foi de R$ 300.00,00.

Ganho de Capital

Se obteve ganho de capital na venda de imóveis, veículos e outros bens, independente do valor. Se o item foi comprado e vendido no mesmo ano, deve ser declarado.

Atividade Rural

Quando a receita bruta for superior ao valor mínimo. Em 2018, foi de R$ 142.798,50.

Rendimentos Isentos

Se recebeu rendimentos de aplicações financeiras, saldo de FGTS, indenização de PDV, décimo-terceiro e prêmio de loteria em um valor total superior a R$ 40.000,00.

Dicas para se preparar para a Declaração de Imposto de Renda

Preparar-se antecipadamente e aos poucos é a melhor forma de fazer uma declaração rápida e eficiente. Lembre-se que, quando mais breve for o envio da declaração, mais rápida virá a restituição.

Faça uma lista de documentos necessários e separe eles com urgência

Liste os documentos que você deve e pode declarar. Existem os obrigatórios e os facultativos porque dependem da sua decisão de declarar – despesas com instrução, por exemplo.

Separe eles em uma pasta logo em seguida, não deixe para a última hora. Os documentos mais comuns nesta lista são:

  • Comprovante de Rendimentos Tributáveis: declaração do empregador ou do órgão pagador do benefício e recibos de aluguel (se existir).
  • Bens: relação, dados de aquisição e venda.
  • Comprovantes de despesas de instrução e saúde pagas.
  • Extrato da Caixa para imóvel financiado (quando existir).
  • Comprovante de Rendimentos dos bancos (aplicações, saldo de conta).

Cuidado com as datas de pagamento de despesas – e não de vencimento

O que conta para o IR são as datas de pagamento e não as de vencimento. Isto vale especialmente para as despesas de instrução e saúde.

Informar corretamente os Rendimentos Tributáveis

Muito cuidado com a declaração destes itens, qualquer divergência entre a declaração e os dados na base da Receita fará a sua declaração cair na malha fina.

Datas de alienação de bens

É muito importante registrar as datas de aquisição e de alienação (venda) dos bens. Bens vendidos em um ano não devem mais ser declarados. Bens comprados e vendidos no mesmo ano devem ser declarados se houver ganho de capit

Muita atenção na digitação dos dados

Faça a sua declaração em um ambiente tranquilo para que não haja erros de digitação que podem prejudicar ou joga-la na malha fina. Também é importante para avaliar qual modelo de declaração o programa vai recomendar enquanto preenche a declaração – lembre-se que você tem o direito de optar pelo modelo que for mais vantajoso – simplificado ou completo.

 

Para não ficar na dúvida ou errar na hora de fazer, o ideal é buscar auxílio de um contador experiente! Você pode escolher seu contador online ou então um escritório de contabilidade rj na Account2me.

5 dicas para trabalhar com aluguel de materiais para festas!

O segmento de aluguel de itens para festas tem crescido muito nos últimos anos, movido principalmente pela comodidade e praticidade.

Podemos montar uma festa alugando praticamente tudo que for necessário, dos painéis – com diversos temas – e peças decorativas em festas infantis até cadeiras e mesas em festas em geral.

Cada festa tem o seu perfil de necessidades e é perfeitamente possível montar um negócio que atenda cada um desses perfis. O maior ganho para os clientes é financeiro: não investir em itens que muitas vezes serem usados apenas uma vez.

E um ponto muito positivo sobre o mercado consumidor deste negócio: não só pessoas dispostas a montar a própria , mas também casas de festas e empresas organizadoras de eventos também preferem, muitas vezes, alugar do que criar estoques de itens para a grande diversidades de temas.

E como podemos iniciar e ter eficiência neste segmento?

Vamos falar de 5 dicas para trabalhar com aluguel de materiais para festas

1 – Defina claramente quem será o seu público-alvo

Para o mercado de aluguel de itens para festas, os clientes em potencial são as casas de festas, empresas de organização de eventos e pessoas físicas. Podemos ver que é um universo muito grande.

Cada nicho tem necessidades de quantidade, de itens e urgência distintas e trabalhar com todas eles ao mesmo tempo pode prejudicar o atendimento em todos também.

Para pessoas físicas, basicamente são os utensílios de festas adultas e infantis. Para casas de festas e organizadores de eventos, a quantidade será muito diferente e a urgência também, são empresas que vão atender outros clientes. A dinâmica de negociação e atendimento também muda bastante.

O recomendado é escolher um nicho e desenvolver o negócio por um bom tempo até que se tenha experiência e domínio suficientes para incluir mais um público-alvo.

2 – Escolha com atenção a sua linha de produtos

Não é indispensável que você atenda todos os itens de uma festa. Você pode escolher atender apenas mesas, cadeiras e equipamentos, ou utensílios e peças de decoração ou todos os itens.

Conforme a linha de produtos escolhida, serão tomadas as decisões seguintes – o público-alvo, o tamanho do ponto comercial, a logística de entrega.

3 – Defina com clareza o seu público-alvo

Este ponto é crucial: se você vai alugar para pessoas físicas ou para casas de festas, a forma de definir o perfil deste público muda completamente. Cada um tem fatores de pesquisa para mapear e descobrir se ele tem uma dimensão que viabiliza o perfil do negócio definido.

Você pode descobrir que não tem mercado grande o suficiente para explorar e ter o retorno de faturamento e lucro que deseja. Então pode ser a hora de redefinir o nicho ou a abrangência de atuação para chegar no público-alvo.

Ou seja, o seu modelo de negócio pode mudar completamente na hora que descobrir o tamanho do seu mercado.

4 – Conheça a sua concorrência

É o momento de descobrir que vai disputar clientes com você, o que eles oferecem e quais os pontos fortes e fracos. Você pode descobrir formas de atendimento e produto que te diferenciem.

5 – Planeje cuidadosamente o tamanho da sua loja

Conforme o nicho definido, você determinará o espaço que vai precisar.

É um negócio que você pode conduzir em home office, com uma economia grande em custo de implantação e despesas operacionais. Porém, pesquise o seu condomínio, vizinhança e até mesmo a prefeitura podem ter restrições.

Pensando em uma expansão futura, projete um imóvel com o maior espaço possível, assim você evita mudanças – que têm um custo alto.

 

Veja aqui opções de cadeiras plásticas antes de começar a investir no seu negócio.

 

Começando na área da Estética? Essas 6 dicas podem te ajudar a decolar!

Todo começo de negócio próprio gera uma série de dúvidas: o que oferecer, quais os fornecedores, quem vai comprar, que preço posso fazer, como farei os clientes conhecerem meus serviços e produtos.

O mercado de Estética está em constante crescimento e isto será uma tendência por muito tempo. Isso é positivo para investir nele, mas exige atenção para conquistar clientes que serão sempre mais disputados.

Você está começando na área da Estética? Essas 6 dicas podem te ajudar a decolar!

Dica 1: Defina um nicho para começar motivada

Sim, muitas pessoas dirão que diversificar os serviços é importante para agregar diferentes qualidades. Mas não neste momento.

Na Estética lidamos com o corpo e o organismo das pessoas, com a vaidade, com expectativas e sonhos. É onde erros podem custar um cliente e muitas recomendações. Então é importante que você comece o mais segura possível sobre aquilo que gosta e quer focar como atividade.

É mais interessante você ter o preparo e disponibilidade para uma ou duas técnicas e assim poder formar um bom conceito e expandir, do que se qualificar em várias e ter problemas para se aparelhar e atender.

Dominando a primeira onda e se diferenciando nela, você poderá futuramente agregar novos serviços, alguns interligados ou similares, com mais segurança e mais capital.

Dica 2: Busque a melhor qualificação em Estética

Em todos os segmentos, temos muita oferta de cursos, muitos online com qualidade, e é importante fazer a melhor escolha. Algumas dicas são importantes para buscar a melhor qualificação em Estética:

  • Pesquise a reputação das instituições – sites como o Reclame Aqui, redes sociais, grupos do assunto, opiniões de clientes e ex-clientes.
  • Avalie o programa de cada opção – o quanto ele é abrangente, atualizado, carga horária, tipo de material usado.
  • Verifique se o curso tem certificação e se está regularizado no Ministério da Educação. É seu primeiro cartão de visita no começo do negócio.

Dica 3: Invista em equipamentos de qualidade

Dos itens menores até aparelhos e grandes equipamentos, é essencial investir na qualidade, pois eles poderão ser um material visual importante na divulgação do seu negócio.

Não necessariamente gastar muito, o mercado tem uma boa quantidade de fornecedores, todos dispostos e negociar. Só ter atenção para:

  • Avaliar as características em comum entre os fornecedores e depois os diferenciais como critérios de valor para decidir talvez por um mais caro, porém mais funcional ou duradouro.
  • Negociar com empresas com experiência e boa reputação.
  • Documentar todas as etapas.

Dica 4: Sua primeira clientela está “em casa”

Familiares e amigos podem ser seus primeiros clientes, mesmo que você não cobre pelo serviço – dependendo do serviço, claro. Mas é uma ótima forma de ganhar experiência, segurança e sem a pressão de ganhar dinheiro logo.

Para isso, você deve prever algumas despesas sem ganho. O objetivo é a vivência e obter impressões e depoimentos – estes das pessoas mais distantes, 2 ou 3 no começo já ajudam bastante.

Outro fator positivo é a divulgação orgânica (sem custo) que eles farão, dentro do seu networking e no círculo de cada um. Assim, aumentam as suas chances de iniciar um base de clientes mais rápido.

E ter a primeira base para o seu trabalho de Marketing Digital.

Dica 5: Coloque o seu negócio de Estética no mundo digital

Nenhum negócio sobrevive por muito tempo, hoje em dia, sem uma estratégia de aparecer na grande rede:

  • Criação de blog com publicação de conteúdos (artigos) com qualidade.
  • Uso das redes sociais adequadas e com conteúdo próprio e do blog.
  • Técnicas para aumentar a visibilidade do negócio no Google e nas redes (SEO).
  • Funil de vendas para avaliar o caminho de cada possível cliente, até o interesse e a venda.

O Marketing Digital cuida de todas as estratégias digitais para seu negócio aparecer, com uma imagem corretamente definida e gerar clientes e faturamento.

Você pode começar aos poucos. Pelas redes sociais certamente é o primeiro passo. O importante é não deixar de ser visível, porque seus concorrentes, com a visibilidade e muitas vezes com qualidade inferior, ganham clientes que poderiam ser seus.

Dica 6: Esteja sempre atualizado sobre o seu mercado

Com tantas novidades surgindo o tempo todo, tanto de técnicas quanto de equipamentos, é fundamental estar atualizado sobre o que de mais atual está sendo oferecido, as tendências e até as notícias ruins do setor.

Desta forma, seus clientes te darão autoridade nos assuntos e valorizarão seus serviços. Nesse artigo, por exemplo, você vai encontrar tudo sobre como eliminar estrias e maneiras de ajudar suas clientes a acabar com as dela.