Category Archive Dicas para a classe trabalhadora

Esperando um bebê? Veja essas 4 coisas para ficar atenta, antes de decidir voltar ou não para o mercado de trabalho!

A maternidade é um momento lindo em nossas vidas e algo tão sonhado. Porém, para as mulheres dos dias de hoje, conciliar maternidade e carreira é um grande desafio.

Estamos em um mercado de trabalho altamente competitivo, vivendo às vezes um cenário econômico ruim com muito desemprego, e ainda lidando com outros compromissos e projetos.

A gravidez é muito especial e merece ser vivida em toda a plenitude. O importante é, paralelo a isso, cuidarmos da carreira para que ela seja retomada da melhor forma.

E você, está esperando um bebê? Veja essas 4 coisas para ficar atenta, antes de decidir voltar ou não para o mercado de trabalho! E que possamos ser mães e profissionais felizes!

1. Ficou grávida? Comece a avaliar a sua carreira!

Depois de toda a comemoração e todas as felicitações de colegas, vem a pergunta na nossa mente: como quero a carreira depois da gravidez e da licença-maternidade?

Mudar de emprego, empreender ou parar de trabalhar?

Não existe uma escolha certa, e cada uma exige cuidados. Mudar de emprego exige muita pesquisa e busca, principalmente porque, infelizmente, muitas empresas não contratam mulheres com crianças pequenas.

Parar de trabalhar dependerá diretamente da situação financeira familiar. E é uma decisão que você pode querer mudar futuramente – e terá de reinvestir.

Empreender pode ser uma ótima opção, você pode começar a pensar em habilidades e ir aos poucos estudando o negócio. Nesses meses de gravidez e licença, você terá o rendimento preservado, mas é fundamental criar uma reserva para não depender do negócio enquanto ele não der retorno.

2. Ficou grávida? Invista ainda mais no seu networking!

Grávidas e mães tem relacionamentos e assuntos de grávidas e mães, certo? Não! Ser mãe é mais uma – e bela – face da sua vida e muitas mães, muito concentradas nela, descuidam das relações profissionais e pessoas do mundo não-materno.

Você começará um afastamento visando a maternidade que nos distancia, aos poucos e sem perceber, do que acontece na empresa, no mercado e na vida social com colegas. É importante investir em manter os contatos com os assuntos que sempre gostaram, para evitar que a gravidez se torne o único e limite sua presença em conversas e eventos.

Desta forma, seja qual for a sua decisão profissional futura, sua rede de relacionamentos apoiará e participará.

3. Ficou grávida? Busque mais qualificação!

A partir da decisão profissional para o futuro, é essencial começar imediatamente a qualificar-se.

Se você pretende continuar no emprego atual, mantenha-se informada ao máximo durante todo o período de afastamento. Conversar com os colegas mais próximos ajuda bastante e – muito importante – pode sinalizar mudanças que façam você repensar o seu espaço na empresa.

Quer mudar de carreira ou empreender? Crie uma agenda para estudar o que será preciso. E sempre que possível, faça cursos online sobre o que você precisa conhecer ou reciclar para estar mais preparada no momento de começar. O ideal é começar já na gravidez, você terá menos tempo e disposição após o nascimento do bebê.

4. Ficou grávida e vai empreender? Pense no home office!

Trabalhar em casa é possível para muitos negócios, de pequenos produtos e principalmente de serviços corporativos e consultorias.

Se você tem este perfil e experiência, pode ser uma bela opção abrir um negócio home office, ter a próximo com o bebê e ganhar qualidade de vida!

4. Ficou grávida? Entenda os seus direitos!

As leis trabalhistas garantem alguns direitos às gestantes e é importantes conhece-los já no começo da gravidez para preparar documentos quando for preciso e também conversar com o gestor quando for necessário.

Licença-maternidade

Período em que você fica afastada do trabalho, que é de no mínimo 120 dias e no máximo 180 dias.

Salário-maternidade

Preservação da renda durante o período da licença, fundamental para a tranquilidade financeira. Entenda mais sobre o seu direito ao salário maternidade, nesse excelente artigo da Bayma e Santana Advocacia.

Outros direitos

  • Não pode ser demitida sem justa causa desde o início da gravidez até 5 meses após o parte.
  • Tem direito a seis dispensas diárias de trabalho para consultas periódicas.
  • A gravidez não pode ser critério para negar a admissão.

 

Espero que este artigo tenha ajudado muito você para este momento mágico e que merece ser bem vivido que é a gravidez!

 

 

 

Se formou em Informática? Veja quais as profissões que você pode seguir!

O mercado de Tecnologia de Informação está em pleno crescimento ao longo de décadas e não dá sinais de estabilização ou recuo, um sinal dos tempos digitais que vivemos e que se tornaram uma realidade, muito longe da moda de algumas áreas.

Isto é um reflexo da presença cada vez maior das pessoas e negócios na Internet, resolvendo quase tudo digitalmente, principalmente o comércio. Mundialmente, o e-commerce é um modelo de negócio estabilizado e as empresas perceberam o potencial de crescimento e de vendas através do mercado digital.

Estudos qualificados apontam que 70% das profissões atuais desaparecerão nos próximos 20 anos, sendo que praticamente não há atividades ligadas à TI ou são muito operacionais, como a de Digitador. Por outro lado, existe potencial para surgimento de novas profissões ligadas à TI.

Como podemos ver, é um campo ainda não totalmente explorado no presente e com perspectivas excelentes para  o futuro.

Se você está se qualificando em Informática (ou Tecnologia de Informação), está largando na frente para o sucesso no mercado de trabalho e no Empreendedorismo. Se formou em Informática? Veja quais as profissões que você pode seguir desde já.

Antes de continuarmos, uma dica: qualificação e atualização sempre!

Como todo segmento de mercado, a qualificação constante é o principal requerimento para diferenciar-se e crescer. Todas as profissões abaixo exigem habilidades específicas e muita atualização, pois a Informática é um mundo que esta sempre em constante mudança – basta vermos o quanto evoluímos nos últimos 10 anos!

1. Administrador de Banco de Dados

Este profissional é responsável por manter, gerenciar, zelar pela integridade, garantir o máximo de desempenho e todas as demais atividades relacionadas à gestão de bancos de dados.

2. Analista de Suporte

É um profissional especializado em tecnologias e deve estar sempre atualizado sobre as novidades de mercado para hardware e software – os equipamentos e os programas mais eficientes. É responsável pela manutenção da estrutura física dos computadores, da rede e dos sistemas operacionais.

Também deve instalar a manter a comunicação digital, instalar; instalar e configurar os sistemas corporativos; instalar e manter os bancos de dados e dar suporte aos usuários da empresa.

3. Programador

O Programador é um profissional responsável pela construção de novos sistemas, criação de websites ou aplicativos. Seu mercado de atuação é muito abrangente: grandes empresas de software, áreas de TI corporativas e empresas de prestação de serviços.

Uma característica desta função é poder trabalhar como empregado ou consultor autônomo atendendo o mercado de médias e pequenas empresas, abrindo o próprio negócio.

Existem diversos tipos de Programador, de acordo com o tipo de produto que será atendido:

  • Web: para criar websites e sistemas em plataforma web.
  • Mobile: para criar aplicativos para dispositivos móveis.
  • Games: para criar jogos de computador, dispositivos móveis, consoles de videogames e jogos em plataforma web.
  • Desktop: criar aplicações e sistemas que vão funcionar em uma rede de computadores.

4. Analista de Segurança de Informação

É o especialista responsável em gerenciar a solução de segurança definida para uma empresa, avaliar constantemente os riscos de segurança e desenvolver técnicas para reduzir ao máximo os riscos de ataques cibernéticos – que são a maior preocupação das empresas quando falamos na interação global com clientes e fornecedores.

Ele deve conhecer profundamente sobre gestão de softwares específicos de segurança – antivírus, filtros de spam e firewall, configurar e manter a solução e solução da empresa, treinar as equipes responsáveis pela gestão dos sistemas nas diversas localidades da empresa e desenhar a melhor Política de Segurança a ser disseminada pelos colaboradores.

É fundamental a atualização sobre as ameaças mais atuais e mais letais e as formas como elas penetram nos sistemas das empresas.

5. Analista de Negócios de TI

É um profissional mais recente na estrutura de Informática das empresa e tem como função principal alinhar as necessidades e objetivos das áreas de negócios e administrativas com os recursos e funcionalidades geridas e desenvolvidas pela área de TI.

Deve ter uma visão ampla dos processos e sistemas da área funcional com quem vai interagir, mapear as necessidades dela, estabelecer um plano estratégico de atendimento delas e elaborar estudos de viabilidade com as ações, soluções e recursos necessários.

6. Consultor de Sistemas de Gestão

Este profissional também faz parte de mudança importante da visão das empresas sobre seus sistemas, deixando de ser simples usuários e soluções prontas e debatendo opções que atendam de forma mais rápida e eficiente as constantes mudanças que o mercado exige para gerir o negócio.

É um profissional que deve ter uma profunda experiência com o mapeamento detalhado dos processos para propor a solução mais eficiente pelo menor custo, que pode ser de mercado – softwares de gestão prontos à venda – o desenvolvimento pela própria área de TI da empresa ou de uma empresa terceirizada.

Este profissional, pela grande experiência adquirida ao longo dos anos – e que permite propor soluções que podem mudar completamente a visão de negócio da empresa – normalmente é autônomo, contratado por projeto e deve deixar a empresa pronta para seguir sozinha com a melhoria contínua.