Category Archive Curiosidades sobre mercado de Trabalho

Como ser um Jardineiro bem sucedido

Com a mudança de consciência das sociedades a respeito da qualidade de clima nas grandes e médias cidades – motivado principalmente pela vida cada dia mais confinada aos condomínios – um profissional cada dia mais valorizado e procurado é o Jardineiro.

Precisamos promover o crescimento das áreas verdes, por uma questão de saúde pública – trazer para o meio do cinza um sopro de natureza – e também de qualidade de vida de uma forma ampla. Funciona como uma terapia para ambientes tão sufocantes no concreto.

As pessoas também buscam, dentro de suas residências, espaços para decoração e leveza.

Por estes motivos, o mercado de Jardinagem cresce tanto nos últimos anos e continua promissor.

Vamos falar aqui de como ser um Jardineiro bem sucedido, os diversos aspectos que envolvem esta profissão e o quanto ela pode ser lucrativa e prazerosa. Afinal, como não se sentir feliz lidando com a Natureza?

Jardinagem é bem mais do que jardins

A gente tende a lembrar das imagens de jardineiros tradicionais que vimos aos longos dos anos e sempre foram profissionais muito dedicados. Mas hoje em dia, ser um Jardineiro é algo muito maior do que cuidar de canteiros de flores.

Elas continuam sendo o produto nobre da profissão, mas hoje em dia um Jardineiro qualificado pode atuar em uma grande variedade de atividades, entre as quais:

  • Plantio de outras espécies decorativas, árvores e arbustos.
  • Criação e manutenção de canteiros, gramados, forrações, maciços, cercas-vivas.
  • Podas e prevenção de pragas em projetos diversos.
  • Orientar clientes para os pequenos cuidados diários.

Como podemos ver, é um setor bem mais diversificado e com possibilidades de ganhos de variados níveis – mas também exige um perfil muito específico e muita qualificação.

O perfil de um profissional de Jardinagem

O Jardineiro é um profissional que entra nos ambientes onde vai trabalhar e lida com um aspecto da vida das pessoas que está muito ligado ao prazer pessoal. Desta forma, ele precisa ter um perfil que trafegue entre o canteiro e o cliente da melhor forma.

  • Ter boa capacidade de relacionamento e comunicação.
  • Gostar muito de lidar com flores, plantas e solos.
  • Cuidadoso e atento aos detalhes.
  • Cumprir compromissos ou preocupar-se em reagendar com antecedência.
  • Ter a qualificação necessária para atender as necessidades de cada cliente.
  • Saber discutir com os clientes sobre as melhores opções em cada caso.
  • Ter noções de Paisagismo, que é uma área intimamente ligada à Jardinagem (e muitas vezes é confuso para os clientes fazer a distinção).
  • Ter asseio pessoal e com o local de trabalho.

O regime de trabalho da Jardinagem

É possível trabalhar como funcionário de uma empresa especializada ou de serviços terceirizados (algumas atende Jardinagem de empresas), mas talvez o grande ganho esteja em ser Autônomo nesta profissão.

Você poderá trabalhar dominando a própria agenda, fazendo horários especiais (e o que mais surge em Jardinagem são os horários alternativos para clientes que querem acompanhar os trabalhos) e ganhando toda a renda do trabalho.

Uma dificuldade natural de ser autônomo é formar a cliente no começo, por isso é importante pesquisar bem as áreas onde haja clientes em potencial – regiões com condomínios, grandes projetos de urbanismo). A partir daí, o boca-a-boca será o grande cartão de visitas para conquistar mais clientes.

Mas fica uma dica: invista em uma página de Facebook para interagir com possíveis clientes na rede de relacionamento e de Instagram para publicar seus trabalhos – não há melhor lugar no mundo digital para formar um currículo (mas chame de portfólio).

Com sucesso e uma demanda cada vez mais, considere abrir uma pequena empresa e contratar profissionais com as mesmas qualificações e perfil e tornar-se empreendedor.

A qualificação em Jardinagem

Não é obrigatório ter ensino médio ou superior completo, mas a Jardinagem exige uma qualificação específica grande.

Existem diversos bons cursos em todas as cidades e o SENAC é uma referência em curso de Jardinagem. Além disto, há cursos online avulsos ou em plataformas como o Hotmart e o Descola.

O importante é uma pesquisa detalhada das opções, principalmente sobre o programa dos cursos. Comparar é importante para ver qual opção é a mais abrangente e valha o investimento. Olhe com atenção os cursos que também falam de técnicas de apresentação e negociação e de elaboração de currículo/portfólio.

Uma ótima forma de agregar mais conhecimento (e gratuito) são os sites especializados, principalmente em plantas e flores específicas, como este link onde você pode aprender como cuidar de Orquídeas. Você estará sempre atualizado.

Uma dica: um bom curso (básico) em Paisagismo é interessante, porque prepara para um mercado que também pode trazer bons lucros no futuro e permite que você atenda clientes sobre dúvidas básicas de paisagismo – e entenda melhor o que um paisagista define.

 

 

Melhore seu currículo com esses cursos na área administrativa!

O mercado de trabalho anda cada vez mais competitivo fora das empresas, com exigências maiores para as posições de trabalho abertas, e dentro das empresas, com disputas internas que muitas vezes geram ambientes pouco saudáveis.

Muitas pessoas começam a pensar em buscar novas oportunidades, e a qualificação é o ponto central deste projeto. Por este motivo é preciso investir no estudo, obter novas competências e melhorar a empregabilidade. Vamos falar de boas opções para que você melhore seu currículo com esses cursos na área administrativa!

1) Cursos de Logística

Esta é uma área que precisa muito de profissionais capacitados, principalmente com o crescimento do e-commerce, com empresas adotando centros de distribuição logística, com inúmeros controles, rotinas e indicadores de desempenho. E as empresas tradicionais de vendas precisam se organizar para enfrentar o e-commerce.

Mesmo já sendo um profissional da área, é importante se atualizar constantemente, é uma área dinâmica quanto a novas formas de administrar e ganhar performance.

2) Cursos de Auxiliar Administrativo

Esta é uma função necessária em todas as empresas e que pode ser uma opção para quem quer diversificar o currículo. A abrangência de atividades é grande, desde o atendimento receptivo de clientes e fornecedores até o controle de despesas, elaboração de apresentações, controle financeiro da área, criação de propostas, suporte às equipes de vendas e à gestão da área.

A boa performance possibilita movimentar-se internamente para outras áreas e funções.

3) Cursos de Gestão da Qualidade

Os consumidores estão mais exigentes hoje em dia com a qualidade do processo de venda, desde o produto até a entrega e incluindo as condições de preço e pagamento. Existe uma concorrência grande em todos os segmentos e os clientes pesquisam na internet, obtendo muita informação com qualidade.

Esta função tem um papel fundamental nas empresas, especialmente de vendas de produtos, onde a cadeia de atividades é mais complexa e envolve fornecedores, colaboradores e gestores.

4) Cursos de Atendimento ao Cliente

Há alguns anos este curso se resumiria ao atendimento receptivo, pessoal ou por telefone, para encaminhar as solicitações, mas hoje em dia isto é mais abrangente com as centrais de atendimento receptivo (as CAC) e principalmente os canais digitais de atendimento – redes sociais, chats e e-mail.

5) Cursos de Técnicas de Vendas

Vender hoje em dia é algo bem mais complexo do que termos um bom produto, um bom preço e um vendedor com uma lista de clientes para visitar e vender, quase sem negociar. Os tempos mudaram e aqui o nível de exigências dos clientes também é grande.

O vendedor dos dias de hoje precisa entender o funcionamento da própria empresa para fazer sempre as vendas mais lucrativas, conhecer profundamente o produto e também os concorrentes para explorar os pontos fracos deles e ter uma abordagem atual, de relacionamento acima da venda em um primeiro momento para que a venda se faça mais naturalmente e com mais chances de fidelizar o cliente.

6) Cursos de Gestão de Compras

Um dos maiores desafios das empresas atualmente é a qualidade nas compras, tanto de itens de produção quanto materiais de uso geral na empresa. Os fornecedores são muitos, a maioria vendendo pela internet – e muitas compras urgentes, pagando mais caro, pela falta de uma gestão.

Esta área está em crescente valorização com a necessidade das empresas de ter políticas de controle e redução de custos.

E como podemos encontrar cursos online para área administrativa com qualidade?

As opções no mercado são muitas e é preciso fazer uma pesquisa profunda para entender preços, conteúdos, duração e material oferecido.

Nesse site você encontra cursos online e gratuitos de diferentes áreas para complementar sua formação, incluindo cursos na área administrativa.

 

 

Se formou em Informática? Veja quais as profissões que você pode seguir!

O mercado de Tecnologia de Informação está em pleno crescimento ao longo de décadas e não dá sinais de estabilização ou recuo, um sinal dos tempos digitais que vivemos e que se tornaram uma realidade, muito longe da moda de algumas áreas.

Isto é um reflexo da presença cada vez maior das pessoas e negócios na Internet, resolvendo quase tudo digitalmente, principalmente o comércio. Mundialmente, o e-commerce é um modelo de negócio estabilizado e as empresas perceberam o potencial de crescimento e de vendas através do mercado digital.

Estudos qualificados apontam que 70% das profissões atuais desaparecerão nos próximos 20 anos, sendo que praticamente não há atividades ligadas à TI ou são muito operacionais, como a de Digitador. Por outro lado, existe potencial para surgimento de novas profissões ligadas à TI.

Como podemos ver, é um campo ainda não totalmente explorado no presente e com perspectivas excelentes para  o futuro.

Se você está se qualificando em Informática (ou Tecnologia de Informação), está largando na frente para o sucesso no mercado de trabalho e no Empreendedorismo. Se formou em Informática? Veja quais as profissões que você pode seguir desde já.

Antes de continuarmos, uma dica: qualificação e atualização sempre!

Como todo segmento de mercado, a qualificação constante é o principal requerimento para diferenciar-se e crescer. Todas as profissões abaixo exigem habilidades específicas e muita atualização, pois a Informática é um mundo que esta sempre em constante mudança – basta vermos o quanto evoluímos nos últimos 10 anos!

1. Administrador de Banco de Dados

Este profissional é responsável por manter, gerenciar, zelar pela integridade, garantir o máximo de desempenho e todas as demais atividades relacionadas à gestão de bancos de dados.

2. Analista de Suporte

É um profissional especializado em tecnologias e deve estar sempre atualizado sobre as novidades de mercado para hardware e software – os equipamentos e os programas mais eficientes. É responsável pela manutenção da estrutura física dos computadores, da rede e dos sistemas operacionais.

Também deve instalar a manter a comunicação digital, instalar; instalar e configurar os sistemas corporativos; instalar e manter os bancos de dados e dar suporte aos usuários da empresa.

3. Programador

O Programador é um profissional responsável pela construção de novos sistemas, criação de websites ou aplicativos. Seu mercado de atuação é muito abrangente: grandes empresas de software, áreas de TI corporativas e empresas de prestação de serviços.

Uma característica desta função é poder trabalhar como empregado ou consultor autônomo atendendo o mercado de médias e pequenas empresas, abrindo o próprio negócio.

Existem diversos tipos de Programador, de acordo com o tipo de produto que será atendido:

  • Web: para criar websites e sistemas em plataforma web.
  • Mobile: para criar aplicativos para dispositivos móveis.
  • Games: para criar jogos de computador, dispositivos móveis, consoles de videogames e jogos em plataforma web.
  • Desktop: criar aplicações e sistemas que vão funcionar em uma rede de computadores.

4. Analista de Segurança de Informação

É o especialista responsável em gerenciar a solução de segurança definida para uma empresa, avaliar constantemente os riscos de segurança e desenvolver técnicas para reduzir ao máximo os riscos de ataques cibernéticos – que são a maior preocupação das empresas quando falamos na interação global com clientes e fornecedores.

Ele deve conhecer profundamente sobre gestão de softwares específicos de segurança – antivírus, filtros de spam e firewall, configurar e manter a solução e solução da empresa, treinar as equipes responsáveis pela gestão dos sistemas nas diversas localidades da empresa e desenhar a melhor Política de Segurança a ser disseminada pelos colaboradores.

É fundamental a atualização sobre as ameaças mais atuais e mais letais e as formas como elas penetram nos sistemas das empresas.

5. Analista de Negócios de TI

É um profissional mais recente na estrutura de Informática das empresa e tem como função principal alinhar as necessidades e objetivos das áreas de negócios e administrativas com os recursos e funcionalidades geridas e desenvolvidas pela área de TI.

Deve ter uma visão ampla dos processos e sistemas da área funcional com quem vai interagir, mapear as necessidades dela, estabelecer um plano estratégico de atendimento delas e elaborar estudos de viabilidade com as ações, soluções e recursos necessários.

6. Consultor de Sistemas de Gestão

Este profissional também faz parte de mudança importante da visão das empresas sobre seus sistemas, deixando de ser simples usuários e soluções prontas e debatendo opções que atendam de forma mais rápida e eficiente as constantes mudanças que o mercado exige para gerir o negócio.

É um profissional que deve ter uma profunda experiência com o mapeamento detalhado dos processos para propor a solução mais eficiente pelo menor custo, que pode ser de mercado – softwares de gestão prontos à venda – o desenvolvimento pela própria área de TI da empresa ou de uma empresa terceirizada.

Este profissional, pela grande experiência adquirida ao longo dos anos – e que permite propor soluções que podem mudar completamente a visão de negócio da empresa – normalmente é autônomo, contratado por projeto e deve deixar a empresa pronta para seguir sozinha com a melhoria contínua.

Capital humano O que é?

Hoje, mais do que nunca, esse tema está muito em voga. A humanidade vem passando por diversas transformações do meio de trabalho, viemos da agricultura, passamos pelas eras do Ferro e do Cobre, a Revolução Industrial e agora, estamos no meio de uma Revolução Tecnológica.

A força de trabalho fica cada vez mais em segundo plano, ainda amplamente explorada por Industrias e no Agro, mas ainda assim sendo substituída aos poucos pela tecnologia. Com essas mudanças o Capital Humano ganha mais foco.

E o que é o Capital Humano?

O Capital Humano não é mensurável, é aquilo que você aprende e te capacita a trabalhar em alguma área. É diferente da Força de Trabalho, que é uma mão de obra física. O Capital Humano é a força de trabalho intelectual, resultado de cursos, faculdades, domínio de outras línguas, conhecimento e talento que permite que o funcionário exerça uma função que não depende de maquinarias ou da força física de trabalho. Um profissional de TI, por exemplo, é o Capital Humano de uma empresa, pois ele não precisa de força de trabalho, e o que tem a oferecer aos seus empregadores é apenas o seus conhecimentos intelectuais.

O conceito de Capital Humano é elaborado pela primeira vez entre as décadas de 50 e 80, e principalmente por Gary Becker, nos anos 60, derivado dos conceitos de capital fixo (maquinaria) e capital variável (salários). Porém, muito antes, Marx já havia levantado esta questão analisando a venda dos “talentos” de cada um para o sistema capitalista.

Qual a importância do Capital Humano em um ambiente Corporativo?

Com as profundas modificações no mercado de trabalho com a revolução tecnológica, a gestão do Capital Humano passa a ser uma importante ferramenta para garantir a máxima produtividade em uma empresa.

Acompanhe, usando conhecimentos de psicologia, relações humanas e gestão de pessoas; podemos identificar os talentos e fraquezas das pessoas que trabalham em uma certa empresa.

Com o máximo aproveitamento destes talentos, e o mínimo impacto destas fraquezas, a empresa obtém o máximo de produtividade de cada funcionário. A gestão do Capital Humano diz respeito a isso.

Hoje em dia, a cultura empresarial de que funcionários felizes, bem aproveitados e tranquilos produzem muito mais do que os oprimidos e explorados vem tomando força. As empresas investem cada vez mais em capacitar o intelecto de seus funcionários com programas de bolsas de estudo, workshops e até mesmo benefícios de controle ao estresse.

Dessa forma, empresas que dependem 100% do capital humano, como as Agências de Propaganda, Empresas de TI, Centros de Saúde ou Educacionais e afins, conseguem maximizar a produção com a gestão do Capital Humano e incentivo ao desenvolvimento de talentos, uma vez que a matéria prima explorada não é física, e sim intelectual.

Eventualmente, as empresas perceberão que funcionários com síndrome do Prego e do Parafuso se tornam improdutivos. Ou seja, um ótimo prego não necessariamente será um bom parafuso, e o gestor que não enxerga isso mantém uma receita contra-produtiva.

Tags